segunda-feira, outubro 23, 2017

GERAÇÃO IDENTITÁRIA A DESPERTAR NO REINO UNIDO

Lauren Southern e Brittany Pettibone, dirigentes da Geração Identitária

Um movimento de Direita conservadora que uniu jovens nacionalistas do Canadá, dos EUA e de toda a União Europeia, resultando em campanhas contra a imigração chocantes e muitas vezes hostis, está a planear iniciar as suas actividades também no Reino Unido.
Intitulado Génération Identitaire (Geração Identitária, em tradução livre), o grupo ganhou notoriedade quando bloqueou as estradas para o campo de migrantes de Calais e tentou bloquear um navio de caridade que trazia imigrantes da Líbia para um porto italiano, como parte da sua campanha para acabar com a imigração em massa para a Europa.
As acções reflectiram o foco do grupo, que afirma querer "preservar" o modo de vida europeu.
Agora, no seu quinto ano, o movimento fundado em França, que quer acabar com a "islamização da Europa", rejeita acusações de anti-semitismo e racismo, colocou a mira no Reino Unido. E lá quer iniciar as suas actividades em breve.
Na sua acção mais ousada, o grupo levou um barco para a Zona de Busca e Resgate da Líbia para "reunir provas" contra as ONGs que salvam os imigrantes de se afogar e trazê-los para a Europa.
O seu navio, o C-star, enfrentou uma série de problemas, incluindo membros da tripulação a serem presos, o barco a ser detido e ocorrendo uma quebra embaraçosa que levou à necessidade de um resgate, justamente por parte de uma das ONGs perseguidas pelo grupo.
Apesar de tais constrangimentos, o apoio aos nacionalistas continuou a crescer e as doações inundaram o grupo, formado por jovens activistas familiarizados com meios de comunicação.
Usando vídeos eficientes e outros recursos, o grupo capitalizou as preocupações públicas quando centenas de milhares de imigrantes chegaram à Europa. E milhares de libras esterlinas para o financiamento para a campanha Defend Europe (Defensa a Europa) vieram do Reino Unido, de acordo com a RT UK.
Segundo fontes ligadas ao movimento, não foi possível confirmar exactamente o quanto os esforços de angariação de fundos foram encerrados várias vezes, após a pressão sobre as plataformas de crowdfunding para bloqueá-las, mas a campanha mostrou interesse no grupo no Reino Unido. Agora, os identitários esperam abrir uma filial britânica
Julia Ebner, pesquisadora do Instituto de Diálogo Estratégico (ISD), revelou os detalhes de uma reunião realizada na Grã-Bretanha durante o fim de semana. Ebner disse ao jornal The Independent que o grupo está "armando a cultura da internet" e divulgando a sua mensagem, mas acredita que o Reino Unido é "chave" para o novo suporte.
"Viram que há uma vaga lá porque o Reino Unido tem movimentos de rua muito tradicionalistas como a Liga da Defesa Inglesa (EDL) e o Partido Nacional Britânico (BNP), ou os que são muito difíceis e violentos como a Acção Nacional que são agora organizações terroristas", disse Ebner. "Não havia realmente nada no meio e esse é o nicho que eles estão tentando preencher".
Expansão britânica
O co-líder austríaco do grupo, Martin Sellner, foi uma das pessoas que visitaram Londres, juntamente com a activista americana de Direita conservadora Brittany Pettibone.
Pesquisadores secretos descobriram que o grupo está preparando a sua máquina de relações públicas e expulsando aqueles que parecem ser muito extremos, além de proibir oficialmente os símbolos nazis.
"Aprenderam a ter muito cuidado com a representação pública do movimento, mas dentro dos seus canais vê-se uma retórica muito diferente", disse Ebner ao Independent. "É realmente interessante ouvi-los tentar incorporar os seus pontos de vista como publicamente aceitáveis".
No entanto, entre as suas fileiras estão os negadores do Holocausto e os neonazis anteriores, e os apoiantes incluem o ex-líder da Ku Klux Klan, David Duke. Outros incluem o popular comentarista em linha canadiana em linha Lauren Southern, que tem uma grande base de seguidores na internet.
No mês passado, o governo britânico proibiu dois grupos neonazis - Scottish Dawn (Alvorecer Escocês) e 'NS131' (National Socialist Anti-Capitalist Action) - ambos aliados da organização terrorista proscrita, a Acção Nacional.
O coordenador de pesquisa da ISD, Jacob Davey, disse que os identitários estão ligados ao Alvorecer Escocês.
A crescente popularidade do movimento diz respeito à ISD, com os pesquisadores afirmando que o grupo dominou a arte de fazer retórica racista parecer uma mensagem política. "Falam sobre o genocídio branco, [mas] têm o cuidado de se representar de maneira pacífica e evitar qualquer sugestão de violência", disse Davey.
"Eles estão usando memes e a linguagem dos jovens para compartilhar e transmitir ideais muito extremos", continuou.
A ISD encontrou evidências de "exércitos de trolls" que reforçam a agenda da Direita conservadora online, promovendo campanhas e iniciando as hashtags bem-sucedidas.
Durante a campanha Defenda a Europa, o grupo espalhou informações erradas sobre as embarcações de resgate e seu paradeiro, acusando-as de quebrar a lei e ajudar os traficantes de pessoas.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201710239655683-geracao-identitaria-quem-sao/

* * *

Na linguagem internética, «troll» é um termo que se aplica a quem está num site, chat ou forum só para provocar/insultar. É particularmente sintomático que uma coisa com o nome pomposo e neutral «Instituto de Diálogo Estratégico» chame «troll» a quem promove os seus ideais na Internet, só porque estes ideais desagradam a quem manda no dito instituto... é de um primarismo acéfalo ou aliás despudoradamente fanático. Percebe-se assim a obsessão de quem fala em nome deste «instituto» com a questão da entrada do discurso «racista» na esfera política, o texto acima fala nisso mais de uma vez - pois de facto a preocupação desta gentinha foi sempre essa, a de que o povinho vá a pouco e pouco percebendo que se pode ser legitimamente «racista», que se pode defender equilibrada e racionalmente o combate contra a imigração, que se pode combater a agenda imigracionista pela via da Democracia popular... quanto mais o povo perceber que é possível dizer que o rei vai nu, mais quem queria impingir a imigração ao povo se aflige, é muito previsível...

OS NACIONALISTAS CATALÃES NÃO DESARMAM - GARANTEM QUE NÃO VÃO OBEDECER A MADRID


As autoridades catalãs não seguirão as ordens de Madrid, só vão ouvir o Povo Catalão, afirmou Raul Romeva, conselheiro das Relações Exteriores da Catalunha. O membro da Generalitat assegurou que não se pode confiar na democracia da União Europeia já que esta permite às autoridades espanholas aplicarem a força sobre a região.
"Como a UE consegue viver com essa situação, se vier a acontecer"?— perguntou Romeva em entrevista à rádio BBC. "Como podemos ter confiança [na UE] se ela permite que isto aconteça? O que posso dizer é que as pessoas e as instituições da Catalunha não vão permitir que isso ocorra", assegurou ele, citado pela agência Reuters.
O conselheiro insistiu que todas as instituições, incluindo a polícia, devem seguir as instruções do governo catalão eleito democraticamente. O porta-voz assinalou que ninguém além do Povo Catalão tem o direito de modificar as instituições catalãs. 
Anteriormente, o governo central espanhol tomou a decisão de afastar as autoridades regionais catalãs do poder. 
Em 21 de Outubro, o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, anunciou a sua intenção de pedir ao Senado para cessar as competências do presidente, do vice-presidente e dos conselheiros da Generalitat da Catalunha, e de convocar eleições na região no prazo de 6 meses. A presidente do Parlamento da Catalunha, Carme Forcadell, classificou a decisão de Rajoy de "golpe de Estado".
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201710239653011-catalunha-madri-ordens-populacao/

* * *

Um louvor é devido aos nacionalistas catalães que permanecem firmes no seu caminho para a independência - todos os nacionalistas coerentes do resto do mundo estão com eles.

JORNALISTA FRANCÊS AFIRMA QUE O DOMÍNIO MUÇULMANO EM SOLO FRANCÊS É UM DADO ADQUIRIDO

A falha no processo de integração de imigrantes muçulmanos e o excesso de concessões feitas a essa parcela da população tornará a França num “novo Líbano” nos próximos 10 ou 20 anos, afirmou o jornalista e escritor francês Alexandre Mendel.
Em entrevista à RT, Mendel falou sobre o seu novo livro, intitulado Partition (Partilha, em tradução livre), no qual discute a integração da comunidade islâmica em França, algo que considera um "fracasso" e que não tem solução: "No meu livro, digo que não há solução, porque é muito tarde. Não haverá nenhuma solução. Você não pode enviá-los de volta ao seu país — eles são franceses – e os Franceses não podem enviá-los de volta. No que a França se tornará nos próximos 10 ou 20 anos será uma espécie de novo Líbano em alguns lugares de França", comentou.
Mendel disse ter ido a campo como jornalista não para falar sobre terrorismo islâmico – algo que abordou num livro anterior – em França, mas sim como o governo francês aceitou e colaborou para um "arranjo" com os islâmicos, o que trouxe problemas ao país.
Tome como exemplo alguns subúrbios em Paris: terão o seu próprio conjunto de regras, terão as suas próprias leis, os seus próprios directores, talvez até a sua própria polícia. Já é o caso, o facto de que agora em muitos lugares a França não tem controle sobre essas áreas. Aceitámos isto e não vamos lutar para recuperar esses subúrbios de volta à França. Já está feito — já perdemos a guerra contra eles", ponderou.
Na visão do escritor, a islamização da sociedade francesa desembocou nos episódios de terrorismo vividos no país nos últimos anos – o que obriga o país a "não fechar os olhos" e "dizer a verdade".
Mendel destacou ainda, na mesma entrevista, que as falhas na integração de muçulmanos na sociedade francesa acomete muitos outros países, sobretudo aqueles que se esquecem de "imitar o que existe na Grã-Bretanha, no Canadá ou nos EUA", que seriam mais rígidos para conceder benefícios a estrangeiros.
"[O país] aceita que você poderia ser francês, obter a cidadania francesa sem sequer falar Francês, sem sequer ir à Escola Francesa de Francês, sem viver como francês. A França não é um novo país de imigração — tem uma longa história de imigração. As pessoas na década de 1920 vieram para França de toda a Europa — da Polónia, da Rússia, da Arménia, na Itália, e não havia problema para integrá-los, não era problema", concluiu.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201710239657205-franca-novo-libano-perdeu-guerra-muculmanos/

* * *

Ele lá saberá como está o seu próprio país, mas o que diz parece francamente exagerado, quando a esmagadora maior parte da população do seu território ainda é de origem europeia. Por outro lado, quando afirma «nós perdemos a guerra», está a falar em nome de um determinado sector ideológico - o qual por acaso até se encontra em crescimento, como tem sido visto nas eleições - não, em nome dos Franceses, cuja maioria nem saberia que essa guerra estava a acontecer... quem perdeu, até agora, e muito, foi quem não conseguiu fazer chegar a mensagem nacionalista ao Povo de uma forma credível e equilibrada: foi sobretudo quem despreza a Democracia e/ou misturar diferentes assuntos como se fossem um só (conservadorismo anti-feminista, anti-gay, anti-drogas, anti-aborto, etc., com Nacionalismo). Se o que diz o jornalista Alexandre Mendel vier efectivamente a confirmar-se, a culpa moral será sem dúvida da elite político-cultural reinante no Ocidente, mas a culpa «técnica» será de quem por imbecilidade e fanatismo dogmático não foi capaz de alertar seriamente a população autóctone.

MILHARES DE ALÓGENOS FOGEM DOS EUA PARA O CANADÁ POR CAUSA DA POLÍTICA DE TRUMP

Pelo menos 15 mil pessoas cruzaram ilegalmente a fronteira EUA-Canadá em 2017, pedindo estatuto de refugiado no Canadá. Afirmam que estão a viver com medo de serem deportados de volta ao seu país de origem pela administração do presidente dos EUA, Donald Trump.
O número de imigrantes que atravessam a fronteira da região de Quebec/Nova York é tão alto que militares canadianos estabeleceram uma tenda em Quebec, um movimento que foi altamente criticado por grupos anti-imigrantes no país do norte, informou o Global News.
Os tribunais de refugiados e as agências governamentais canadianos responsáveis ​​pela avaliação dos pedidos de asilo tornaram-se cada vez mais simpáticos com as pessoas que fogem dos EUA após a ascensão de Trump à presidência dos EUA.
De acordo com os números do Comité Canadiano de Imigração e Refúgios, 408 dos 592 pedidos de asilo dos que cruzaram ilegalmente a fronteira entre Março e Setembro foram aprovados. A taxa de aceitação de 69% é maior do que qualquer outro método que as pessoas usaram para ganhar entrada no país desde 2016.
Um membro do tribunal, que supervisiona um caso de asilo envolvendo um refugiado sírio e sua filha, citou os motivos dos requerentes de asilo para deixar os EUA como razoáveis, dizendo: "Certamente, isto parece estar a acontecer como se temia e hoje nas notícias eu vi que o presidente Trump suspendeu o programa de refugiados sírios".
A detenção de uma iraquiana num aeroporto dos EUA também gerou um pedido de estatuto de refugiada no Canadá. A mulher alegou vários incidentes racistas documentados durante o período na escola até à vida adulta. O Comité considerou que eram razões credíveis para concessão de refúgio.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/americas/201710239649024-trump-refugiados-fronteira-canada/

* * *

Parece que afinal a política do gordo loiro sempre vai servindo para alguma coisa... bom sinal e bom exemplo para praticamente toda a Europa. Um certo escrevinhador imigracionista dizia «se lhes fecharmos a porta, eles [imigrantes] entrarão pela janela», mas se calhar muitos destes alógenos podem é preferir outras janelas, já não é tudo mau...

MAIS UMA MORTE EUROPEIA NO BRASIL DURANTE UMA VIAGEM DE TURISMO...

Uma turista espanhola foi atingida por um tiro e morreu na manhã desta Lues, na comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Ela é a mais recente vítima dos tiroteios quase diários que dominam a favela há semanas.
Segundo informações da Polícia Militar, reproduzidas pelo jornal Extra, a mulher (identificada como Maria Esperanza Ruiz Jimenes, de 67 anos) integrava um grupo de cinco turistas que, contrariando as ordens policiais, seguiu para a Rocinha e, ao adentrar a comunidade, a vítima acabou baleada e não resistiu. O grupo – que contava com um guia, um italiano e três espanhóis – transitava pela Estrada da Gávea, enquanto acontecia um intenso tiroteio na comunidade entre polícias e traficantes.
Durante o confronto, dois polícias militares e um suspeito também foram baleados. Os três foram levados para o hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, a mesma instituição onde a vítima espanhola foi levada, morrendo logo ao dar entrada.
O Rio vem testemunhando uma série de tiroteios nas últimas semanas. Segundo o aplicativo Onde Tem Tiroteio, a cada dia são registados 14 tiroteios no estado, em média, o que praticamente indica uma troca de tiros a cada duas horas.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/americas/201710239654857-turista-espanhola-morta-rocinha/

REFERENDOS DÃO VITÓRIA ESMAGADORA A MAIOR AUTONOMIA DE VÉNETO E DE LOMBARDIA

Mais de 98% dos moradores de Véneto votaram a favor da autonomia da região. A situação parecida ocorreu na região italiana de Lombardia. O especialista em ciências políticas, Dmitry Zhuravlev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik opinou porque é que essas regiões visam obter a independência.
Durante o referendo regional que veio à tona no domingo (22), mais de 98% dos cidadãos do Véneto expressaram-se a favor da autonomia da região situada no Norte da Itália, informou a comissão eleitoral local.
No total, o referendo contou com participação de mais de 57% eleitores locais.
O presidente da região, Luca Zaia, afirmou à Sputnik: "É uma decisão histórica, que vai ter consequências significativas. Mais de dois milhões de cidadãos votaram a favor da autonomia."
Ao mesmo tempo, em referendo consultivo na região italiana de Lombardia, 95% dos moradores votaram pelo crescimento da autonomia da região; a participação do referendo excedeu 40%, afirmou o governador da região, Roberto Maroni.
Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista em ciências políticas, Dmitry Zhuravlev, falou sobre o porquê de essas regiões terem como objectivo conseguir a independência: "Por um lado, era esperado que um grande número votasse a favor da autonomia, por outro, nem tanto. O referendo da Catalunha acabou de acontecer, é evidente que seus resultados não sejam cumpridos, por isso houve uma incerteza entre as pessoas no que diz respeito a votar por uma coisa que possa a vir a ser muito perigosa. Mas a tendência da região em se tornar independente é de há muito tempo. Em conformidade com a União Europeia unida, as regiões já não precisam de Estados. A União Europeia concede todas as vantagens proporcionadas por um governo: ausência de fronteiras, alfândegas, circulação livre e economia unida. Por isso, regiões mais ricas e mais desenvolvidas acreditam que seriam melhores sem esses Estados", explicou o especialista.
Para o cientista político, esta será a evolução dos acontecimentos: "O desejo psíquico-cultural em separar-se sempre esteve presente nestas regiões de Itália e, hoje em dia, já não está presa a razões económicas. É difícil prever consequências, pois tudo vai depender da reacção do governo italiano, e de como as autoridades da região vão interpretar esta independência: saída imediata e criação do próprio Estado ou início de conversações com o governo italiano sobre novo estatuto da região. Trata-se de outro sinal alarmante, que prejudica a concepção moderna sobre governo, tornando essa tendência anacrónica na Europa", ressaltou Dmitry Zhuravlev.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201710239651728-veneto-lombardia-referendo-independencia/

* * *

É de facto alarmante para quem julgava que as Nações estavam ultrapassadas, e estariam ultrapassadas porque uma elite político-cultural reinante assim o tinha determinado... constata-se que a Nação não morreu e o seu apelo, que é o apelo tribal em forma contemporânea, continua a ter cada vez mais força no seio de populações etnicamente homogéneas. Mais uma vez se constata que a Democracia é aliada do Nacionalismo.


REFERENDO NA LOMBARDIA DÁ VITÓRIA A MAIOR AUTONOMIA


A participação no referendo da região da Lombardia na autonomia excedeu 40%, com 95% dos eleitores escolhendo maior autonomia.
Os dados preliminares mostraram que mais de 95% dos residentes da Lombardia, em Itália, votaram a favor de maior autonomia da região durante um referendo não vinculativo, disse o presidente da Lombardia, Roberto Maroni.
"Cerca de 1/3 das cédulas foram processadas e mais de 95% dos eleitores disseram 'sim' e cerca de 3% votaram contra. Estou satisfeito com o facto de que a participação excedeu 40%", disse Maroni a jornalistas.
A Lombardia e Véneto realizaram plebiscitos consultivos não-vinculativos neste domingo sobre a autonomia de ambas as regiões. Foi a primeira vez na história italiana moderna que algo do tipo aconteceu. A participação no Véneto excedeu 50%, indicando que os resultados dos votos serão reconhecidos como válidos de acordo com a lei regional de Véneto sobre referendo de autonomia.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201710229648631-catalunha-lombardia-autonomia-italia/

* * *

Já esteve a Lombardia mais longe da independência... tudo a seu tempo e o Nacionalismo desenvolve-se no seu próprio ritmo. A Lombardia, ou Lumbardia, na língua lombarda, uma das nações mais ricas da Península Itálica, tem mais de nove milhões de habitantes.


SOBRE O CASO DO JUIZ QUE DESCULPABILIZOU VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA MULHER ADÚLTERA

Mensagem que corre no Facebook (texto da mensagem a itálico):
«Regina Cunha O que aqui vou narrar é de uma gravidade sem precedentes…vou postar parte do excerto de um acórdão da relação emitido por um Tribunal do Porto, e reza assim…”Na Bíblia (…) a mulher adúltera deve ser punida com a morte (…) o adultério da mulher é um gravíssimo atentado à honra e dignidade do homem. Sociedades existem em que a mulher adúltera é alvo de lapidação até à morte (…) foi a deslealdade e a imoralidade sexual da assistente que fez o arguido cair em profunda depressão (…) Com alguma compreensão a violência exercida pelo homem traído vexado e humilhado pela mulher”…faço-vos esta pergunta: -“Como é possível que este troglodita exerça um cargo como o de Juiz?” - De uma só pernada este homem cuspiu literalmente na constituição portuguesa, ao não ter em conta a separação Estado/Igreja, ao defender a pena de morte e ao discriminar as mulheres, privando-as da igualdade de direitos que a constituição lhes confere, pois defende a pena de morte apenas para adúlteras e não para adúlteros. Por favor, façam circular a leitura do acórdão, peço-vos encarecidamente. Isto é uma porta escancarada para homens que matem as mulheres pelo “crime de honra” não sejam punidos…(...)» 

*

É curiosa a semelhança disto com a charia ou lei islâmica. O mais provável é que isto não passe de um acto de grunhice beata (o Cristianismo e o Islão têm a mesma raiz), não creio que em Portugal já se tenha chegado ao ponto de haver juízes muçulmanos a tomar decisões destas, ainda é cedo para isso...

«O ESTADO É TÃO MÍNIMO QUE DEPENDE DOS PRIVADOS PARA TUDO»

Foi na abertura do encontro "Um Plano B para a Europa" que a líder do Bloco de Esquerda aproveitou para uma primeira reacção às medidas tomadas pelo Governo para ressarcir as vítimas dos últimos incêndios. "O estado mínimo falhou e é preciso acabar com este modelo", disse Catarina Martins.
A prioridade, agora, passa pela "emergência assistencial" , garantindo que se "chegue rapidamente" às pessoas afectadas e que "não podem esperar pelos caminhos infindáveis da burocracia". Mas, há ainda outros caminhos a percorrer, segundo Catarina Martins. Entre eles, o reconhecimento de que, no combate aos fogos "houve erros e esses erros têm que ser avaliados".
A coordenadora do Bloco não deixa, porém, de apontar o dedo aos anteriores Executivos. Para a líder bloquista, a política da floresta e da Protecção Civil têm seguido "todos os preceitos neo-liberais". Até com a autoridade nacional que nós tínhamos para as florestas se acabou nos tempos da ‘troika’. O Bloco até aprovou recomendações empenhadas sobre ser preciso sapadores florestais e vigilância e nunca nada foi posto em prática porque ‘ai o défice, ai a austeridade’", criticou Catarina Martins.
"A Direita que hoje censura o Governo pela má condução no combate aos incêndios é a mesma que piorou as condições dos bombeiros, que acabou com a autoridade para as florestas", realçou Catarina Martins. "O estado é tão mínimo na Protecção Civil em Portugal que também depende para tudo dos contratos com os privados. Seja dos meios aéreos para apagar fogos, seja das comunicações. É tudo PPP, é tudo privado", acusou.
(...)
Catarina Martins criticou ainda os critérios da União Europeia para os fundos de solidariedade, em que Portugal nunca pode concorrer a alguns fundos devido aos elevados montantes mínimos de danos exigidos, para serem disponibilizados. “Não é normal que, até quando chega à solidariedade, os fundos europeus sejam desenhados para o norte da Europa e o sul tenha que ficar em lista de espera", criticou e defendeu: "O que temos de exigir é que seja possível que o apoio internacional não fique refém de critérios que empobrecem sempre os mesmos".
*
Fonte: http://expresso.sapo.pt/politica/2017-10-22-Bloco-Erros-nos-incendios-foram-causados-por-preceitos-neoliberais

* * *

A bloquista tem mais uma vez razão - mais uma vez, o País fica a arder (desta vez, literalmente) devido aos serviços privados, que muito «boa» gentinha queria dar como «ai, os mais competentes!». Ele vê-se, a merda da competência superior dos privados. É triste e idiota que uma evidência destas seja entregue quase de bandeja à Extrema-Esquerda porque à Direita só se sabe dizer mal do governo e «disto tudo» mas nunca ou raramente se toque nos interesses dos privados, aliás, dos privatas. Depois há uns direitinhas a queixar-se de que «ai, a Extrema-Esquerda está a ganhar votos!, como é isto possível!!, este povinho é burro!!!, socorro que vem aí o PREC!!!!!», escandalizam-se muito por isso, é de terem muito medo e pouca vergonha.

domingo, outubro 22, 2017

PNR DENUNCIA INOPERÂNCIA DO GOVERNO DIANTE DAS TRAGÉDIAS DOS INCÊNDIOS

Depois de termos perdido grande parte da nossa mancha florestal, depois de muitas mortes, de muitos feridos, de muitas vidas e bens destruídos, o Primeiro-Ministro anunciou agora, “tarde e a más horas”, que na prevenção e combate a incêndios, as Forças Armadas vão ter um papel reforçado no apoio de emergência, ao nível do patrulhamento, e caberá à Força Aérea a gestão e operação dos meios aéreos.
A gestão e operação, por parte da Força Aérea, abrangerá os meios próprios que este ramo das Forças Armadas venha a dispor, mas, igualmente, “a gestão dos meios próprios do Estado e dos contratos de meios aéreos de combate aos incêndios”, acrescentou o líder do executivo. Haverá “um papel alargado” das Forças Armadas no que concerne “ao apoio militar de emergência ao nível do patrulhamento, nas acções de rescaldo, na parte logística, no auxílio junto das populações e, ainda, no que respeita às capacidades no apoio ao processo de decisão”.
Ora, com umas Forças Armadas reduzidas a números mínimos, com restrições orçamentais enormes, tudo não passa mais de um manifestar de intenções, que algo de concreto e real. Significa isto, tão somente, que pouco ou nada vai mudar, mas que já arranjaram o «bode expiatório» para quando as coisas correrem mal.
António Costa acrescentou, no mesmo sentido de profissionalização do modelo de combate aos fogos, que “será retomada a expansão das companhias dos GIPS (Grupo de Intervenção Protecção e Socorro) da GNR. Fazemos votos para que se concretize, nomeadamente, a profissionalização dos bombeiros e o seu estatuto revisto, coisa que o PNR sempre tem defendido.
Lamentavelmente, em matéria de Direito Criminal, não vemos propostas no sentido de aumentar as penas para os incendiários, medida importante na dissuasão deste crime. E de igual modo, também gostaríamos de ver reactivado o Corpo de Guardas florestais.
Também no que toca à limpeza de matas, o silêncio foi profundo. Importa que, coercivamente, se obrigue à limpeza de matas e que, neste particular, o Estado seja um exemplo, recorrendo ao trabalho de quem recebe o RSI e de quem está preso; em qualquer dos casos trata-se de gente a viver à custa de todos nós e que deverá contribuir para o bem comum.
*
Fonte: http://www.pnr.pt/2017/10/tudo-dantes-quartel-general-abrantes/

MANIFESTAÇÃO CONTRA O «IUS SOLI» EM ITÁLIA


Cerca de mil pessoas protestaram nas ruas de Roma, em Itália, contra a possibilidade de que venha a ser dada a nacionalidade aos filhos de imigrantes em território italiano.
Outras cidades acolheram manifestações com o mesmo intuito, embora com concentrações menos importantes. Não houve, em qualquer dos casos, registo de incidentes.
Os manifestantes estão contra o chamado o projecto de lei do chamado Ius Soli, que o Executivo italiano poderia propôr ao Senado e à Câmara Baixa para análise, num curto espaço de tempo.
No mesmo dia, vários sindicatos maioritários apelaram a uma mobilização como forma de protesto contra o desemprego jovem. Foram registadas concentrações nas principais cidades italianas.
Os sindicatos protestaram também contra eventuais mudanças na lei das pensões e reformas, que pretende aumentar a idade da reforma para 66 anos e sete meses. Calcula-se que algumas centenas de pessoas tenham participado nas manifestações nas diferentes cidades.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: http://pt.euronews.com/2017/10/14/uniao-europeia--europa-italia-roma-protestos-anti-imigracao-ius-soli   -   Página com vídeo incorporado   (Artigo originariamente redigido sob o acordo ortográfico de 1990 mas corrigido aqui à luz da ortografia portuguesa.)

* * *

Vox Populi, Vox Dei... esta é a verdadeira vontade popular, que a elite político-cultural tenta sufocar não apenas em Itália mas em toda a Europa, para assim poder, através do «ius soli» neste caso, impingir toneladas de alógenos aos Europeus.



HOJE - REFERENDO PARA MAIOR AUTONOMIA DA LOMBARDIA E EM VÉNETO


Véneto - Mãe, olha, aquele país está a declarar independência!
 Itália - Não olhes para ele, Véneto. Não quero que sejas influenciado por...
Itália - Vénetoooo...
Veneto - É demasiado tarde, mãe, já vi tudo! Independênciaaa!

Em nome de uma maior autonomia do Governo central, as regiões italianas da Lombardia e Véneto, ambas no norte do país, realizam este domingo um referendo não vinculativo.
Como motores económicos de Itália, em termos práticos reclamam, essencialmente, maior autonomia fiscal.
A norte de Milão, a província de Monza e Brianza é território de pequenas e médias empresas inseridas numa das mais importantes áreas de produção no velho continente.
Na comuna de Canzo, já na província de Como, com cerca de cinco mil pessoas, as razões económicas pesam e muito quando se fala sobre o referendo.
A Trafilspec é uma empresa especializada na produção de componentes em aço para a indústria automóvel. Com quatro armazéns, uma centena de funcionários e um volume de negócios de 55 milhões de euros por ano, enfrenta, no entanto, alguns problemas no mercado.
“Infelizmente, em Itália, o preço da electricidade é em grande parte afectado por taxas e impostos especiais para o consumo. O meu concorrente alemão gasta menos de metade. Vou votar porque considero este referendo bastante importante. Na minha opinião, a autonomia permitirá não só a consciencialização mas também a conquista de maturidade por parte de outras regiões, que não a Lombardia e Veneto, sobre tomada de decisões em relação à forma como investir os recursos”, sublinha, em entrevista à Euronews, Fabrizio Ricco, CEO da Trafilspec.
Paola Cavadi, Euronews – Os que desejaram esta consulta popular, como o presidente da região, Roberto Maroni, do partido Liga Norte, esperam poder reter, um dia, no território pelo menos parte dos 54 mil milhões de euros que a Lombardia transfere para o Governo central sem receber em troca, como referem, qualquer serviço.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: http://pt.euronews.com/2017/10/20/referendo-na-lombardia-e-em-veneto-por-maior-autonomia

* * *

Por trás e acima das questões ou questiúnculas económicas ergue-se o vulto ancestral da Nação - de Nações que querem ser livres e estão há muito sob o jugo de quem lhes não pertence. Pode ver-se abaixo um mapa das línguas de Itália, que é, por isso mesmo, mais coisa menos coisa, um mapa das diferentes nacionalidades da Península Itálica:

Para ver melhor, aceder a esta página: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/ae/Linguistic_map_of_Italy.png

Repare-se bem na distância entre o Lombardo, o Véneto e o Italiano propriamente dito:
Lombardo: Indo-Europeu > Italiota > Romance > Romance Ocidental > Galo-Romance > Galo-Itálico > Lombardo
Véneto: Indo-Europeu > Italiota > Romance > Ítalo-Ocidental > Véneto
Italiano: Indo-Europeu > Italiota > Romance > Ítalo-Dalmácio > Toscano > Italiano.


DITADOR DE ZIMBABUÉ NOMEADO EMBAIXADOR DA BOA VONTADE DA ONU

A novidade foi comunicada numa cerimónia esta Vernes no Uruguai, na presença do próprio: Robert Mugabe, 93 anos, é o mais recente embaixador da boa-vontade da Organização Mundial de Saúde (OMS), agência especializada das Nações Unidas.
“É uma honra anunciar que o presidente Mugabe aceitou”, foi como Tedros Adhanom Ghebreyesus, desde Junho director-geral da Organização Mundial de Saúde, introduziu o tema, para logo depois explicar que o presidente do Zimbabué ficará encarregado de promover o combate das doenças não transmissíveis em todo o continente africano. Ghebreyesus, etíope, referiu-se ainda ao Zimbabué como “um país que coloca o acesso universal aos cuidados de saúde e a promoção da saúde no centro das suas políticas” — ainda assim, quando tem problemas de saúde, Robert Mugabe apanha um avião para ser assistido em Singapura.
A escolha do ditador, que desde 1980 lidera com punho autoritário o Zimbabué e tem sido desde então inúmeras vezes sancionado internacionalmente por violações dos direitos humanos, corrupção e fraude eleitoral, está a ser contestada em todo o mundo.
Ian Levine, director da Human Rights Watch, apressou-se a qualificar, via Twitter, a nomeação como um “embaraço” para a OMS.
Já o porta-voz do maior partido da oposição no Zimbabué, o MDC, considerou a escolha “para rir”. Ou chorar: “O sistema de saúde do Zimbabué está num estado caótico, isto é um insulto. Mugabe destruiu o nosso sistema de saúde. Deixou que os nossos hospitais públicos colapsassem e agora quando ele ou a família dele têm de fazer tratamentos vão para fora, para Singapura”, acusou o porta-voz do partido, Obert Gutu, citado pelo The Guardian.
*
Fonte: http://observador.pt/2017/10/21/robert-mugabe-nomeado-embaixador-da-boa-vontade-das-nacoes-unidas/

* * *

Valha-lhe ser um negro que do seu país expulsou brancos... fosse ele um branco que, no seu país, houvesse expulsado negros, muita sorte teria se não estivesse preso...

sábado, outubro 21, 2017

HOJE - ORIÓNIDAS, CHUVA DE METEOROS


Observatório Astronómico aconselha quem quer observar este fenómeno "evitar noites nubladas e a poluição luminosa das grandes cidades".
Este sábado há chuva de estrelas: a chuva de meteoros das Oriónidas atingirá o pico de actividade e poderá ser observada em todo o mundo.
As Oriónidas começaram no dia 2 de Outubro e o período de visibilidade prolonga-se até dia 7 de Novembro.
"Esta chuva de meteoros resulta dos detritos deixados pelo cometa Halley", que passou perto da Terra pela última vez em 1986, explicou o Observatório Astronómico de Lisboa.
Como as Oriónidas são chuvas de fraca intensidade, o Observatório aconselha quem quer observar este fenómeno "evitar noites nubladas e a poluição luminosa das grandes cidades, e procurar um horizonte desimpedido".
*
Fonte: https://www.dn.pt/sociedade/interior/chuva-de-meteoros-sera-visivel-amanha-8860046.html

MANIFESTAÇÕES EM TODO O PAÍS CONTRA A INOPERÂNCIA DO ESTADO DIANTE DOS INCÊNDIOS

Milhares saíram à rua em todo o país, este sábado, em protesto contra as políticas florestais, na sequência dos trágicos incêndios de Junho e Outubro.
No Porto, Coimbra, Lisboa, Viseu ou Viana do Castelo foram palco para milhares de pessoas, que quiseram homenagear também as vítimas dos incêndios e o trabalho dos bombeiros.
A "Manifestação silenciosa: Portugal contra os incêndios" decorreu este sábado, na Avenida dos Aliados, no Porto, e contou com a presença de cerca de 500 pessoas que, através de mensagens escritas em cartazes, expressaram a solidariedade a favor das 44 vítimas mortais dos fogos.
Palavras como "Basta!", "Incêndios são da culpa do Governo" ou "Incêndios = Terrorismo", escritas em cartolina ou tecido, foram levantadas, à medida que a multidão se juntava em frente à Câmara Municipal do Porto.
Apesar de ser silenciosa, várias foram as pessoas que, de bandeira de Portugal na mão, se juntaram num círculo e aproveitaram a ocasião para colocarem em causa a falta de recursos para o combate aos incêndios e a necessidade de reestruturar as políticas de ordenamento do território. A cada pergunta lançada, a multidão aplaudiu os intervenientes anónimos.
No início da manifestação em Lisboa, houve alguns momentos de tensão entre os participantes. Dois manifestantes exibiram um cartaz que atribuía responsabilidades pelas mortes deste ano nos fogos não só ao actual governo, como ao anterior executivo, liderado pelo PSD/CDS-PP. Numa iniciativa assumida como apartidária, alguns manifestantes não gostaram de ver as referências aos partidos políticos e insurgiram-se, com agressividade física e verbal e tentativas de retirar o cartaz aos dois homens. A intervenção da PSP permitiu separar os manifestantes e acalmar os ânimos.
A manifestação, que ocupou parte do Terreiro do Paço, reuniu cerca de cinco mil pessoas, entre elas familiares de vítimas que morreram nos incêndios de Pedrógão Grande e pessoas que viveram de perto os fogos do último fim de semana. Às 17.30 horas cumpriu-se um minuto de silêncio em memória das vítimas.
*
Fonte: https://www.dn.pt/sociedade/interior/incendios-manifestacoes-numa-dezena-de-distritos-contra-os-fogos-e-por-melhores-politicas-8861612.html

* * *

Um bom sinal popular, até ver. É de esperar que não caia em saco roto e não fique por aqui.

JANET JACKSON E O MARIDO MUÇULMANO

Janet Jackson, irmã de Michael Jackson, resolveu casar com um muçulmano. Agora queixa-se, não sabia que afinal os «islamófobos» tinham razão e que é mesmo verdade que o Islão submete a mulher ao marido... 
Para ler mais sobre o caso, aceder a esta página: https://www.jihadwatch.org/2017/10/if-janet-jackson-had-known-all-this-would-she-have-married-wissam-al-mana

sexta-feira, outubro 20, 2017

EUA RECONHECEM - TERRORISTAS DA AL-NUSRA USARAM ARMAS QUÍMICAS NA SÍRIA

Pela primeira vez, os EUA reconhecem que os terroristas ligados à Frente al-Nusra usaram armas químicas na Síria, informa o Ministério da Defesa russo.
Igor Konashenkov, representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, também lembrou que em Idlib "é conhecido só um caso de uso de armas químicas – em Khan Shaykhun".
"Contudo, os EUA acusaram as tropas governamentais sírias dos ataques químicos. E aqueles que os organizaram foram chamados de 'oposição moderada'", disse Konashenkov.
Igor Konashenkov sublinhou que a Força Aeroespacial da Rússia que atua na Síria, contrariamente aos EUA e à sua coligação, que reduziu Raqqa a cinzas, não alveja os civis e as suas casas.
Salienta-se que "com base na declaração oficial do Departamento de Estado, agora tudo está claro: em Idlib atua um grupo terroristas ligado à Al-Qaeda chamado Frente al-Nusra que não só possui, mas usa armas químicas contra os civis".
Konashenkov adicionou que "apenas não se entende para que precisou Washington do ruidoso e dispendioso ataque com mísseis Tomahawk contra a base aérea síria de Shayrat. Poderiam ter queimado dezenas de milhões de dólares com mais utilidade: para efectuar golpes contra os terroristas da Frente al-Nusra".
Konashenkov continuou dizendo que "quanto às referências no texto aos alegados bombardeamentos por parte da aviação russa da cidade de Idlib, aqui o Departamento de Estado, para dizer o mínimo, engana-se e os civis norte-americanos não têm motivos para receios. A aviação russa que actua na Síria não alveja os povoados, ao contrário dos EUA e da sua coligação".
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201710209630750-eua-armas-quimicas-terrorismo-luta/

* * *

Em geral, Trump opôs-se sempre ao auxílio prestado pelo seu país à Al-Nusra - quem quis que este auxílio continuasse foi sempre o partido oposto. Agora, os mé(r)dia cá do burgo não falam disto...

DENTES PALEO-HUMANOS DESCOBERTOS NA ALEMANHA SÃO MAIS ANTIGOS QUE OS DESCOBERTOS EM ÁFRICA...

Uma equipa de arqueólogos alemães descobriu um conjunto intrigante de dentes, de 9,7 milhões de anos de idade, num antigo leito do rio Reno, anunciou nesta semana o Museu de História Natural de Mainz, no oeste da Alemanha.
Os dentes não parecem pertencer a nenhuma espécie descoberta na Europa ou na Ásia. Assemelham-se mais àqueles pertencentes aos esqueletos hominóides de Lucy (Australopithecus Afarensis) e Ardi (Ardipithecus ramidus) – descobertos em escavações na Etiópia.
No entanto, os dentes encontrados no vilarejo de Eppelsheim, a 40 quilómetros ao sul de Mainz, são pelo menos 4 milhões de anos mais velhos que os esqueletos africanos. De tão intrigados, os cientistas adiaram a publicação da descoberta por praticamente um ano. Uma equipa especializada realizará testes adicionais nos dentes.
'Grande mistério'
"São claramente dentes de primatas", afirmou o chefe da equipe de arqueólogos, Herbert Lutz, ao diário local "Merkurist". "As suas características assemelham-se a achados africanos que são de 4 milhões a 5 milhões de anos mais novos que os fósseis escavados em Eppelsheim. Isto é uma sorte tremenda, mas também um grande mistério."
Na conferência de imprensa na qual foi anunciada a descoberta, o presidente da câmara de Mainz, Michael Ebling, disse que o achado forçará cientistas a reconsiderar a história dos primórdios da humanidade: "Não quero dramatizar demais, mas gostaria de lançar a hipótese de que depois de hoje devemos começar a reescrever a história da humanidade", disse.
O arqueólogo alemão Axel von Berg afirmou a meios de comunicação ter certeza de que as descobertas receberiam muita atenção. "Isto irá impressionar especialistas", garantiu Berg ao jornal local Allgemeine Zeitung.
O primeiro artigo científico sobre a descoberta será publicado na próxima semana na rede social voltada a profissionais da área de ciência ResearchGate. Os dentes ainda estão a ser examinados em detalhe, mas a partir do fim de Outubro serão exibidos na exposição vorZEITEN, organizada pelo Estado alemão da Renânia-Palatinado. Em seguida, segundo o diário alemão "Die Welt", os dentes seguirão para o Museu de História Natural de Mainz.
Os dentes foram encontrados por arqueólogos que estavam peneirando cascalho e areia num leito pré-histórico do Reno – um curso antigo do rio mais importante da Alemanha. Os primeiros fósseis de primatas foram encontrados na região em 1820. Desde 2001, foram descobertas 25 novas espécies na área.
Os dentes foram encontrados ao lado dos restos de um gênero extinto de equídeo (mamíferos que pertencem à família Equidae, que inclui o cavalo) – o que ajudou os pesquisadores a determinar a idade dos fósseis.
*
Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/descobertos-dentes-que-podem-reescrever-a-historia-da-humanidade.ghtml

* * *

Será mais uma ferroada na teoria de que a humanidade tem origem em África? Logo se vê...

COLIGAÇÃO INTERNACIONAL CONFIRMA QUE RAQQA FOI LIBERTADA DO CALIFADO

A coligação internacional liderada pelos Estados Unidos na Síria disse nesta Vernes que a cidade de Raqqa, considerada a capital do Estado Islâmico no país, já foi completamente libertada do domínio do Daesh.
Segundo representantes da coligação, o poder da localidade será, em breve, repassado para as mãos da população síria.
Mais cedo, as Forças Democráticas da Síria, formadas principalmente por combatentes curdos, já haviam anunciado a retomada do controle de Raqqa, destacando que mais de 650 homens perderam as suas vidas nesses combates, enquanto, por outro lado, 450 mil vidas foram salvas na região.
Na última Joves, 19, o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, já comemorava a libertação da cidade.
"Dou boas vindas à libertação de Raqqa. Eu disse a Brett McGurk [enviado dos EUA para a coligação contra o Daesh] que a OTAN continua fortemente comprometida com a luta contra o terrorismo." 
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201710209635177-reconquista-raqqa-siria/

PEQUENÍSSIMA PARTE DO DINHEIRO QUE FOI PARA PRIVADOS PODERIA TER SERVIDO PARA DEFENDER O PAÍS CONTRA CALAMIDADE DOS INCÊNDIOS

(...)
Desde 2008, o Estado já injectou na banca privada mais de 20 mil milhões de euros e o resultado, consumado ontem, é que nenhuma das instituições beneficiárias está sob controlo público. A lista de siglas é longa: BPN, BPP, BPI, BCP, BES, Banif.
Tendo em conta que parte do dinheiro foi emprestado – porque também foi para salvar a banca privada que a troika foi imposta aos portugueses – e que parte desse já foi recuperado, o saldo entre o deve e o haver é de 14,25 mil milhões de euros. Foi este o valor que usámos para perceber o que teria sido possível fazer na floresta se os últimos governos, em vez de salvar bancos, lhe tivessem dedicado este valor.
Usando como referência o valor, estabelecido em Janeiro, de 40 mil euros por seis meses de trabalho, os gastos com a banca pagavam 500 equipas de sapadores florestais, o objectivo traçado para 2019, durante 700 anos. Desde 2009 e até Março deste ano, só uma equipa foi constituída, em 2011, ainda antes da entrada em funções do governo em que Cristas assumiu a tutela, pelo município de Grândola.
Se tomarmos em conta apenas o custo da falência do Banif e da entrega do banco ao grupo espanhol Santander – mais de 2 mil milhões de euros –, este valor representa mais de 100 vezes o corte do governo do PSD e do CDS-PP na despesa do Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF), a quem cabe a gestão das matas nacionais e das áreas protegidas, nas quais arderam mais de 25 mil hectares nos últimos dias.
Estes números reforçam o argumento de que os problemas da floresta portuguesa resultam de anos de desinvestimento público na prevenção dos fogos e na defesa da floresta contra incêndios. Não porque não houvesse dinheiro, mas porque foi canalizado para salvar da falência quem perdeu com a especulação bolsista e com os crimes económicos na banca.
*
Fonte: https://www.abrilabril.pt/nacional/dinheiro-para-salvar-bancos-pagava-700-anos-de-sapadores-florestais?from=onesignal

* * *

Já se sabe que cá no burgo entrega-se tudo a privados porque o povo é manso e deixa correr o marfim, mas este tipo de factos tem o condão de nunca deixar de escandalizar.

NA GRÉCIA - CRISTÃOS TENTAM IMPEDIR PEÇA DE TEATRO DE FERNANDO PESSOA CHAMANDO-LHE «BLASFEMA» E «MAÇÓNICA»

A polícia da Grécia dispersou um grupo de monges, sacerdotes e cristãos ortodoxos que tentavam impedir uma peça que eles consideravam "blasfema". Com bandeiras da Grécia, cerca de 100 manifestantes tentaram romper o cordão policial que protegia o Teatro Aristoteleion, em Salónica, a segunda maior cidade grega.
O incidente ocorreu nesta Mércores (18).
A peça em questão é uma adaptação do livro "A Hora do Demónio" do português Fernando Pessoa e retrata uma discussão entre uma mulher jovem e o diabo.
Os manifestantes gritavam "Maçons, fora da Grécia" enquanto brandiam símbolos religiosos.
O director da peça, Grigoris Apostolopoulos, afirmou à agência de notícias Associated Press que o acontecimento é "simbólico" já que o texto de Pessoa fala sobre o bem e o mal que existe em todos os humanos.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201710189620904-grupo-religiosos-tenta-invadir-peca-blasfema-grecia-teatro/

* * *

O fanatismo beato persiste, mostrando tanta despudorada arrogância como há dois mil anos...




quinta-feira, outubro 19, 2017

MAIS UM ALTAR DA RELIGIÃO NACIONAL NO CENTRO DA EUROPA


Criação de um novo altar numa mata de Panevezys, Lituânia, em honra de Medeina, Deusa lituana das Florestas, ligada à classe guerreira, de algum modo equivalente a Diana; Medeina, simbolizada na lebre, ainda era durada durante a Baixa Idade Média neste centro geográfico da Europa, antes da cristianização forçada pelas armas que se abateu sobre o Báltico.
Para ler mais informações sobre o evento, aceder a esta página: http://romuva.lt/panevezio-rajone-rusena-naujas-medeines-aukuras/

quarta-feira, outubro 18, 2017

BATALHA DE ZAMA

A Batalha de Zama, travada em 19 de Outubro de 202 a.C., foi decisiva na Segunda Guerra Púnica. O exército da República Romana, liderado por Cipião Africano, derrotou as forças de Cartago lideradas por Aníbal. Logo após essa derrota, o senado de Cartago assinou um tratado de paz, terminando assim uma guerra de quase 20 anos. 
(...) 
Depois da batalha, Aníbal correu de Adrumeto a Cartago para comunicar ao conselho [de Cartago] que, o que quer que se dissesse, não haveria mais esperança de sucesso em prolongar a guerra. Muitos dos cartagineses, cientes de que a sua cidade ainda era a mais rica do mundo e permanecia relativamente intocada pela guerra, acharam difícil de acreditar que tudo estava perdido. Uma história típica conta que Aníbal, presente numa reunião na qual um jovem nobre incitava os seus concidadãos para que guarnecessem as suas defesas e recusassem os termos romanos, subiu ao palanque do orador e atirou-o ao chão. Desculpou-se imediatamente, dizendo que estivera longe por muito tempo e, acostumado à disciplina dos acampamentos, não estava familiarizado com as regras de um parlamento. Ao mesmo tempo, pediu-lhes, agora que estavam à mercê dos Romanos, que aceitassem "termos tão clementes quanto os que lhes foram oferecidos, e orassem aos Deuses para que o Povo Romano ratificasse o tratado". Achava que os termos que Cipião Africano propusera aquando da sua chegada diante das muralhas de Cartago eram melhores do que se poderia esperar de um conquistador que lidava com um Povo que já havia traído um tratado anterior.
Para ler mais, aceder a esta página: https://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_de_Zama

Trata-se de um dos episódios da História que fez a Hispânia ficar na posse de indo-europeus - latinos - em vez de cair sob o domínio semita...

ITALIANO É ASSASSINADO NA SUA PRÓPRIA TERRA POR NIGERIANO - FAMÍLIA DO ITALIANO ALERTA CONTRA O «RACISMO»...

Em Turim, Itália, um ex-operário, Maurizio Gugliotta, de cinquenta e dois anos, foi assassinado com uma navalhada na garganta por um nigeriano de vinte e sete anos. O africano, com visto de residência, não tinha registo criminal. Nada diz sobre o motivo do homicídio. A família da vítima alerta contra tentativas de, passo a citar, «usar a nossa dor... para criar uma bandeira para as pessoas irem para os média pregar o ódio e o racismo.»
*
Fonte: http://www.ansa.it/english/news/2017/10/16/no-racism-after-man-killed-by-nigerian-family-2_b4dd61d4-c4d4-4428-b668-46a645a7cac3.html

* * *

Claro que o pior de tudo é o racismo ou pelo menos, pelo menos, alertar as pessoas para o perigo óbvio de deixar entrar na relativamente pacata Europa toneladas de alógenos oriundos de países onde a violência é prática habitual...
Há muito tempo que sei como é - quando oiço camaradas nacionalistas ingénuos a dizerem que «os antifas e pró-imigração gostam muito de apoiar a iminvasão mas se algum imigra lhes violasse a filha ou matasse um familiar, aí já mudavam de ideias!», quando os oiço a dizerem isto, digo-lhes logo que em diversos casos estão enganados... a doença da xenofilite aguda já chegou ao ponto de fazer alguns continuarem a apoiar a iminvasão mesmo depois de familiares seus sofrerem na pele as suas consequências...

MILHARES DE ANIMAIS MORTOS NOS INCÊNDIOS EM OLIVEIRA DO HOSPITAL

Os fogos que assolaram há dois dias o concelho mataram ainda cerca de 5000 aves, em capoeiras domésticas e pequenas explorações. Oito pessoas morreram no município.
Pelo menos 3.000 ovelhas e algumas cabras morreram na zona de Oliveira do Hospital, devido ao fogo, o que compromete o futuro do queijo Serra da Estrela, disse hoje o presidente da Câmara local.
José Carlos Alexandrino afirmou à agência Lusa que "a maior parte" dos pequenos ruminantes que pereceram no incêndio de domingo "são ovinos da raça bordaleira" e de outras variedades autóctones cujo leite determina a pureza do queijo regional com Denominação de Origem Protegida (DOP).
"Está em causa o queijo Serra da Estrela", lamentou o autarca, reeleito nas autárquicas de 01 de Outubro para um terceiro e último mandato.
Os fogos que assolaram há dois dias o concelho mataram ainda cerca de 5.000 aves, em capoeiras domésticas e pequenas explorações, numa "estimativa provisória" que inclui mais de mil perdizes.
José Carlos Alexandrino confirmou o número de vítimas humanas neste município do distrito de Coimbra já divulgado: oito mortos, 12 feridos graves e diversos ligeiros.
Em Oliveira do Hospital, um primeiro levantamento hoje analisado, numa reunião extraordinária do executivo municipal, aponta para cerca de 200 casas destruídas pelas chamas, sendo "mais de 100 de primeira habitação", revelou o presidente da Câmara.
*
Fonte: https://www.dn.pt/sociedade/interior/incendios-tres-mil-ovelhas-mortas-em-oliveira-do-hospital-8851212.html

* * *

O título da notícia diz muito sobre a mentalidade reinante: «Queijo da Serra da Estrela em perigo. Três mil ovelhas mortas em Oliveira do Hospital» - «parece» que o que interessa mais no caso da morte de milhares de animais inocentes é um prejuízo económico... não admira, numa sociedade em que ainda se parte do princípio de que os animais são para abater e em que a preocupação com o sofrimento animal ainda é vista como uma excentricidade utópica. A sociedade tem evoluído mas ainda precisa de evoluir muito mais...